Páginas

domingo, 2 de janeiro de 2011

Dotes culinários

Quem me conhece sabe que os dotes culinários nunca foram meu forte.
Também não foi resolução de ano novo me aperfeiçoar na arte.
Na verdade desde criança pouco gostei de cozinhar. Minha mãe bem que tentou, mas minha irmã, mais nova que eu, sempre assumiu o controle e nunca reclamei o direito de irmã mais velha. Ela sim, cozinheira de mão cheia.
Mas eu???? Odeio cozinhar e quando cozinho as pessoas até elogiam, mas não aprecio o que faço. Exceto para doces. Quando cismo, doce é meu forte. Bolos não, mas pavês, tortas, mousses... e drinks, então. Esses me deleiteio.
Mas parece que os primeiros dias de 2011 despertaram em mim o prazer da transformação de alimentos. Em apenas dois dias deste ano novo já fiz um lombo de porco assado, uma farofa de uva passas, uma salada russa, transformei o lombo em carne louca, e olha que carne louca se faz com lagarto.
Bom, se ficou palatável não sei dizer. O fato é que estou inspirada e isso pode ser um prenúncio de um ano novo cheio de novidades...
Ou pode ser influência do filme “Julie e Julia”, que assisti ontem, ou ainda, apenas o efeito do espumante, cujas últimas gotas acabam de descer por minha garganta.
De qualquer forma, acho que comecei o ano com o pé direito.
Meus amigos que me aguardem.

Um comentário:

Nancy disse...

Não seja modesta querida maninha, você apenas apurou seu paladar e está adepta a produtos naturais. Realmente, me lembro da nossa adolescência que os doces ficavam por sua conta. Hummmmmmmmmmm!!!!!!! Mas não desista, quem sabe um dia vc se torna uma grande chef!